Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2015
antes de tombar o cadáver se feriu em cada algo daquele cômodo
possível contar quantos alfinetes nas gavetas até mesmo quantos pés os móveis
pelos hematomas pelas feridas
a metragem da cortina pelo roxo no pescoço
mas o que ou quem fez aquilo com seu rosto
não as escoriações
mas com o seu semblante o que imprimiu tamanho terror
ninguém sabe mas ainda está ali
este inventário está completo
mas quando o único indício é o desespero
a razão perde foco a cada lance
xadrez ao abismo