Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2009
O olho branco do chá de camomila
afiava minha boca banguela
por dentro contra a língua,
sua única rival,
à altura dos lábios,
mas em lados opostos.

Lendo

tá, nem é tão bom assim, ela não parece ser tão boa assim, mas eu queria isto numa camiseta...

*

Os trechos que a Perloff cita do livro Away do Roberto Creeley são do tipo de poema de amor que me pega de verdade, mas o que tem dele na nete ou na bilbioteca ficaram com muito a dever...

Tirando esta estrofe:

The galloping collection of boards are the house which I afforded one evening to walk into just as the night came down.

, que começa este poema.

*

É isso das minhas incríveis leituras...

diário possível

quase posso roubar aquela TV no primeiro andar do Pombal, dizem que o CacildaBeckker vai ser fechado para virar TRE agora que tem o CEU na Armando Arruda Perreira e não sei encenar onde isso ou por que isso me afeta, o ônibus faz o caminho do Jabaquara quase prà minha casa, sinto preguiça e não ódio, quase discuti com o bilheteiro, mas ri e havia um bilheteiro, então a mutreta com o meu bilhete errado não deu problema e aí quase não sinto ódio da minha risada, tô descendo agora uma ladeira que não dá prà casa, escuro, não vou entender o que escrevi depois e a vizinha deve estar pensando que eu sou louco, mas é só escrever grande. E espaçado.

*

Os carros são todos claros quando em um engarrafamento se autoiluminam no escuro. Cor é uma coisa que combina com a escuridão: a de nada se iguala àquela que não se vê; a que nunca se viu, então, fone de ipod.

*

As luzes da cidade lá embaixo desenham robôs entre as bananeiras de beira de estrada.

A Família Weintraub

Imagem
Eles podem ser parentes distantes de verdade, vai? De qualquer forma, Caleb é um pintor americano e Fabio é um poeta paulistano; assim, dialogáveis:

Estilo
(de uma entrevista com Tom Waits)

I.

A maneira pela qual
você faz
uma coisa
é a maneira
pela qual
faz todas as coisas

Você lava o carro
do mesmo jeito que
corta o cabelo
anda a cavalo
cria seus filhos

Depois dos filhos
todo o resto
fica (muito) fácil.



II.

É como pescar
ou caçar passarinhos
Você cava um buraco
na parede
e espera
que alguém
ou alguma coisa
cave de volta
na sua direção



III.

Como faço
para ter uma voz
assim grave?

Grito com a cara no travesseiro
Grito com meus filhos




Fonte Visual: Google e Jack, o Pelicano
Mais do Fabio Weintraub: Germina Literatura
O engano de um pássaro
numa tarde de domingo
adentra a casa sem esbarrar
empoleirou-se e depois parte
por uma porta entreaberta eu acho
procuro entre a parede e uma estante
o canto de onde nunca tenha saído
meu olhar que deixa as janelas abertas.
Imagem
"I lick your back up
and so I suck your tongue out."








Reclining Boys, William Lawson [1944].
Sonhei com lugares indefesos,
que se vergassem sob a culpa
de me deprimirem e assim
ainda melhor a descrevessem

Quero lugares que por mim se dobrem,
que se dobrem ou se prolonguem
ensolarado dia tarde ao redor
breu liberto de lua ou relógio

algo que seja pleno em meu lugar
curvas vencidas pelo simples desejo
____________Quero lugares indefesos

e que os juízes sejam os resultados,
sempre agradecidos pela existência,
e que haja um tempo sem eles
apelidado por mim de liberdade

Ali uma casa
agora só um quarto
sem os corredores necessários
que se empilham numa bela escada
_______________________ornamental
aquele ano não houve dia de reis
e quase um ano depois
nevou sobre os enfeites de natal abandonados.

Trecho do poema X - Canto VI, Invenção de Orfeu, Jorge de Lima

[...]

O mais, seus passos me levem,
suas naus me cruzem lumes,
seus coveiros me segurem,
seu cadáver me perdoe.

[...]