Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2009
Imagem
Baravelli, Luís Paulo - Organização das borboletas, 1974
*
Como narrar uma borboleta num poema depois da borboleta da borboleta do Alberto Caeiro e sob esta acusação ferrenha de que poesia é algo brega, é difícil. As cores daquela borboleta em outro inseto ou focar o que me ocorreu não nela mas numa moral ou noutra coisa que o valha, estratégias que me frustrariam. O que faço da minha vida quando a literatura lhe nega encenação? O contexto socio-psico-literário, ao gosto dos pedagogos, me nega narrar em versos que sejam poemas a borboleta, mas à praia onde a vi ainda resta todo o mar quebrando em cada onda verso antigo bem lido. O que falta portanto é um Camões às borboletas, meu amor, será você, será você. Um gigantesco móbile de panapanás.
, lrp.
A consciência que os cães têm dos umbrais
me espanta e parece estar ausente nas baratas;
talvez erro, o cão é que é cerimonioso enquanto
a barata não distingue porta trancada de enterro.

Este cão que me espia da soleira da cozinha
compõe meu almoço agradável, cotidiano.

Quando a barata que chamamos de bile finalmente
ultrapassar minha boca ignorada e arreganhada, morte.
I.

se um gigante travestido
usasse um colar de crânios prateados
numa tarde universal de sol como esta
daria a Monteiro Lobato que vejo agora.

II.

É domingo de tarde ensolarada em Mongaguá
e mais uma vez penso aqui eu duro mais que ferro
e a ferrugem que aproxima o metal das plantas
não alcança esta deliciosa moleza humana
que fede suor mesmo quando vegeta.

III.

Sim, eu li Gullar antes de sair para caminhar.
Eu abandonaria minha vida por mais
momentos como este, esqueci o carregador do mp3-player,
economizo na Lizzy Mercier Descloux, cantarolo Caetano.

, lrp - Ontem, 16h26
A cidade é um calendário incinerado:
restos mortais e datas intercortadas
convulsão no lugar das duas lâminas
o que há para apoio é uma placa de segure-se
9 de Julho, 25 de Março
O que fizeram da memória?
Que mistério ainda mais entranhado
substituirá os apocalipses individuais?
rua adão aranha, saudades do mar

, lrp - 08h30
O que há para um olhar minucioso lá em casa
varia de cor conforme o bebê que vá nascer
e não falo de raças, minha vó tricota para fora
não a homossexualidade dos netos e sim
lindos enxovais para recém-nascidos brancos
verdes azuis rosados fiapos atesourados.

, lrp.