Relatório de Estágio

São quase nove horas da manhã e o sol, escondido, queima a borda de nuvens escuras perto do horizonte com aquele tipo de luminosidade que esverdeia quando observada. A certeza de uma luz excessiva não consumada dá serenidade a esta sala iluminada. Só nota as lâmpadas frias acesas quem não tem paciência para o longo espetáculo solar. Alguém sonha um sol verde.

Me esforço: as nuvens escuras sobem, se aproximam de nós, e a luz sobra em nuvens mais baixas e claras como se quisesse atrasar o dia e escorrer de volta à linha do horizonte; contudo, ponto de fuga distante e esta cidade a perder de vista impedem a repetição da aurora. Por enquanto.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog