colidir arbitrário

miasma do caos que louvamos
petulantes,

ainda temos um ao
Ainda aí?

como é bela
a serifa

restodontê

vê como sobrevive
a letra sem esses

adornos,
rebarbas?

ainda temos um ao
de que serve a memória?

Se guarda o que quer, se atormenta

de que me serve a memória,
se a vida já faz este trampo de bosta?

colidir arbitrário

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog