não me reconheço
na fome dos olhos

me arde o rosto
fremente

é uma palavra antiga

a separação
dos elementos

falha,
gorfo

este mundo
não me serve

presta-me um
favor já pago

tão certo como
jamais estive

nenhum heráclito
basta, nenhum

hopkins é difícil
o bastante

a serpente de
Cassandra reencarna

no cachimbo de ópio
do Pessanha e mesmo

assim mesmo isto

nada me diz,
é excessivo este óbvio

que me passa pelos olhos
sem causar memória

esta fome epilética
não será a razão a saciar.

12set15

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog