elevado medíocre baixo

O cavalo se ergueu no ar até sua coluna tombar às costas
os dentes já imóveis não mordem o rabo mesmo barba
as patas dianteiras secam quebram nos joelhos chifres
de um boi visto de lado taciturno duas quatro outras pernas
não suportam o peso dos órgãos que dentro escorrem
um todo amorfo que desmorona engordando pêlos mortos
feito mãos fazendo agora de tudo antes uma então ovelha.

02/11/08 - 02h02 - LRP

Comentários

Anônimo disse…
"Eu que sou feio, sólido, leal,
A ti, que és bela, frágil, [assustada,
Quero estimar-te, sempre, recatada
Numa existência honesta, de [cristal." - Cesário Verde

Ponto por ponto, fora por fora.

Postagens mais visitadas deste blog