quanto disto servirá de rito sequer aos gagos,

o ar descansa amarras por milésimos de segundos
e não há quem se faça de rogado — assoviemos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog