caboto que é caboto
prova na terra a proximidade do rio.

Teme,
mas teme o que não existe.

um marginal a se guiar por fronteiras,

horizontes viciados pelo que não está.

Teme,
mas leva nos braços um buquê de músculos.

O grotesco de um náufrago de lagoa,
mas nunca mais a graça de um Baudelaire.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog